APARTAMENTO

ÁREA  : 240.00 m²  |  ANO  :  2008  |  LISBOA 


Ambientes aconchegantes, leves e descontraídos fazem a arquitetura de interiores para um apartamento em Lisboa.

No hall de entrada, o aparador em laca vermelha  —  das pranchetas do enfant terrible espanhol Jaime Hayon  —  dá o tom da cena, atual e antenada.

Ampla e confortável, a área social apresenta base em cores neutras acomodando peças de excelente design e um layout aberto para a encantadora vista do Tejo.

O bom design é a estrela do pedaço  —  na decoração, peças dos mais vanguardistas designers europeus encontram-se lado a lado com clássicos de mestres consagrados.

Os sofás, grandes e confortáveis, fazem par com as mesinhas de apoio circulares Eileen Gray, peças desenhadas em 1929 pela designer irlandesa. A mesa de jantar é a clássica Saarinen, de Eero Saarinen, ladeada pelas cadeiras Louis Ghost, em acrílico branco, de Philippe Starck.

As sofisticadas telas douradas na área de estar aparecem ao lado do aconchegante tapete em pele de vaca, além de várias peças de Fornasetti e da Vitra na decoração. Um grande móvel  —  em laca branca  —  abriga os equipamentos de áudio e vídeo, fazendo ainda as vezes de aparador para a sala de jantar.

Uma das peças-chave da ambientação é a poltrona Fjord, da espanhola Patricia Urquiola  —  aqui, com acabamento na cor vermelha. Ao lado, o divertido pufe dourado, de Philippe Starck. Sobre o aparador, um antenado espelho adesivado com desenho rococó. As persianas rolô, motorizadas, quebram a luz quando excessiva.

A seleção de luminárias decorativas vai da Spun Light, desenho de Sebastian Wrong, ao pendente Skygarden, de Marcel Wanders  —  esse, com acabamento em dourado. Há ainda o Glo-Ball, de Jasper Morrison. As peças são produzidas pela Flos, uma das melhores fabricantes de luminárias da Europa  —  e responsável por desenhos icônicos.

A ampla varanda é integrada à área de estar por grandes esquadrias em vidro. Alinhada com o apartamento, a ambientação abriga excelentes peças de design. As poltronas e mesa de centro brancas, em polietileno, são da espanhola Gandia Blasco  —  uma antenada fábrica de mobiliário outdoor. A convidativa mesa em alumínio traz as arrojadas cadeiras em resina branca do designer alemão Konstantin Grcic.

A circulação dá acesso os quatro quartos — um deles convertido em um aconchegante gabinete. No ambiente, uma arrojada mesa de trabalho, em madeira natural, faz par com a inusitada cadeira em papelão  —  a Wiggle Chair, desenho de Frank Gehry para a Vitra. O sofá-cama apresenta desenho leve e atual, e a luminária articulada é a Kelvin, de Antonio Citterio.

A cena é leve, básica e acolhedora na suíte máster e nos dois quartos  —  a cor branca domina a ambientação, com poucas e confortáveis peças, na cadência de boas férias e colocando em destaque a paisagem do rio. Peças em madeira, poltronas em couro e luminárias de design arrematam os espaços.

As casas de banho são amplas e práticas  —  as bancadas abrigam duas pias, e os armários são em madeira natural. O piso é em mármore na cor bege, e as paredes em cerâmica na cor areia. A copa e cozinha apresenta muita área livre e, assim como os demais ambientes, abre-se para a paisagem.

                      

+ ARQUITETURA RESIDENCIAL