CASA COR

área  :  50.00 m²  |  ano  :  2006  |  Recife


As cores branco e azul marinho fazem a Sala de Estar assinada pela nossa equipe para a CASA COR 2006  —  a maior mostra de arquitetura, decoração e paisagismo do país, em sua décima versão pernambucana.

A pegada do projeto é a de uma sala de estar formal e tradicional em essência, mas não em arquitetura  —  uma sala que guarde a aura das antigas residências pernambucanas, mas que esteja firmemente plantada na estética e nas formas atuais.

A simetria do ambiente e o rigor da composição apontam para a arquitetura tradicional  —  mas a relação com o passado acaba por aí: materiais, cores, obras de arte e objetos são pinçados a dedo para emular as antigas salas em sua essência, mas não na aparência.

+ saiba mais

a planta baixa — a área é de 50.00 m2

Acrílico, vidro, aço e peças cromadas aparecem no lugar de tapetes persas, cadeiras medalhão de palhinha, prataria, cristais e antiguidades. O piso é em chapas de mármore branco extra cortadas sob medida. O teto é coberto por placas em MDF revestidas com um tecido de forte apelo gráfico. As paredes são pintadas em um elegante tom de azul marinho.

A ambientação é um mix de arte e design  —   os confortáveis sofás da Casapronta em couro natural branco e as cadeiras Mademoiselle, de Philippe Starck para Kartell  —  em acrílico e estofado em tecido Missoni  —  são as estrelas no mobiliário. A mesa de centro, sob medida, é uma caixa em vidro branco com lâmpadas fluorescentes instaladas, o que a torna em uma grande luminária.

A mesa em espelhos e o cachepô em aço inox são desenhados especialmente para Sala de Estar. Sobre a mesa, os vasos espelhados são da Zona D, em São Paulo. Na mesa de centro, a estrela é o conjunto de 52 peças articuláveis de origem alemã  —  da década de 50, garimpadas na Passado Composto Século XX  —,  e que, em nosso espaço, faz as vezes de um descolado vaso com rosas brancas.

As obras de arte arrematam a cena  —  em uma das paredes, uma arrojada escultura de Emanoel Araújo. Na parede oposta, tela de Francisco Brennand. Ainda no ambiente, as elegantes luminárias Spun Light, desenhadas por Sebastian Wrong, e Archimoon K, de Phillipe Starck, todas da Flos.

o espaço antes das obras

Pin It on Pinterest

Share This